Vinagre natural de maçã e seus benefícios

Hoje quero registrar aqui a minha experiência com o vinagre natural de maçã. Eu não sou muito de expor coisas muito pessoais aqui, mas neste caso pode ser que outras pessoas se beneficiem dessa experiência, então acho que vale à pena compartilhar!

Pois bem, há anossss eu tinha uma coisa chamada “pitiríase rósea”, que são umas manchas rosadas que aparecem esporadicamente na pele, e nunca aparecem no mesmo lugar, cada hora num lugar (barriga, ombro, pernas, costas etc), e a gente nunca sabe quando vão aparecer. O duro é que tem um aspecto de micose, às vezes é rosa clarinho, às vezes é mais vermelho, grande, pequena, enfim, é sempre feio e é super desagradável ir à praia ou piscina quando elas estão ativas. Apesar de eu saber que não tem problema algum de transmissão, ninguém é obrigado a saber.

Por causa disso eu visitei quase todas as dermatologistas do meu convênio em todos esses anos tentando achar uma solução efetiva, mas o diagnóstico era sempre o mesmo: “pitiríase rósea”, não tem cura e não é transmissível. Fique tranquila, é um fungo da sua pele, mas não passa pra ninguém e não causa nenhum problema, é apenas estético. Em paralelo eu nunca conseguia relacionar as manchas aparecendo com nenhum dos meus hábitos do dia a dia, mas as dermatologistas falavam que as manchas apareceriam na ocasião de baixa imunidade ou quando estivesse muito calor, devido à umidade na pele. O remédio para tratar também era sempre o mesmo: Icaden, que é uma pomada antibiótica. Eu passava nas manchas durante uns 20 dias a 1 mês 2 vezes por dia e as manchas sumiam completamente. Mas em pouco tempo elas voltavam a aparecer.

Eu passei a ir na dermatologista sempre que eu me sentia incomodada esteticamente. Eu ia na consulta basicamente para pegar uma receita da pomada antibiótica, pois os antibióticos são vendidos apenas com receita. Quando eu não tinha nada em vista assim de praia ou piscina e as manchas estavam lá, eu deixava elas lá, porque não dava para ficar o tempo tooodo no antibiótico, né?! Isso não faz bem! E claro, às vezes também não tinha nenhuma mancha aparecendo. Aprendi a conviver sem sofrimentos e já tinha a resposta na ponta da língua caso alguém perguntasse o que era.

Eis que eu fui num clínico geral em SP fazer um exame médico e as manchas estavam lá, vistosas, nas minhas costas. E ele perguntou: “você tem pitiríase rósea?” Eu: “sim, eu já fui em muitas dermatologistas diferentes, elas passam uma pomada antibiótica que faz a mancha sumir, mas logo elas voltam, então eu só passo a pomada perto do verão, que é quando eu não quero que a mancha apareça.” Ele: “isso acontece porque a pomada está tratando apenas a camada superficial da sua pele. Eu sou clínico geral e uma dermatologista deve saber melhor que eu, mas a nossa pele é feita de várias camadas. Se o problema estiver nas camadas internas, cada vez que sua pele se renovar, as manchas irão aparecer novamente. Você precisa buscar um tratamento que trate as outras camadas também, não apenas a superficial. Talvez um tratamento via oral possa ajudar, procure um dermatologista.” Eu: “sim.”

Mas saí decidida que eu mesma iria achar algum tratamento natural para isso e comecei minhas buscas loucamente na internet. Procurei em sites gringos, fucei, fucei, fucei até que encontrei o vinagre de maçã para tratamento de manchas na pele. Mais pesquisas, pesquisas, pesquisas e decidi que eu ia tentar. Como eu não tinha nada a perder pelo vinagre de maçã ser super natural, fui ao supermercado e comprei um vidro de vinagre onde os ingredientes listados eram apenas água e maçã.

A recomendação era  tomar 2 colheres de sopa de vinagre de maçã diluídos em 1 copo de água (200ml) 2 vezes por dia. Mas o sabor era muito forte pra mim no início e eu comecei tomando apenas 1 colher de sopa diluída em 1 copo de água (200ml) 2 vezes por dia. Até que acostumei com o gosto e passei a tomar a quantidade indicada. Era recomendado passar o vinagre nas manchas também como se fosse uma pomada, mas eu achei que ia fazer muita meleca e ficar com cheiro de vinagre por aí, então decidi apenas tomar!

Tcharam! Como um passe de mágica, após uns 20 dias tomando rigorosamente minha água com vinagre, começaram a pipocar todas as manchas possíveis e imagináveis na minha pele, como eu nunca havia visto antes. E isso fazia todo o sentido do mundo conforme a teoria do doutô, eram as outras camadas da pele expelindo as manchas, digamos assim. Não me preocupei, continuei tomando e uns dias depois todassss as manchas sumiram e nunca mais apareceram!! =D Eu comecei a tomar o vinagre em novembro/2016 e desde o primeiro sumiço geral das manchas, nenhuma mais ousou a aparecer 🙂

Sim, estou ótima, obrigada! Sem manchas, tomando meu vinagrinho de maçã diariamente, porque só faz bem e me livrei completamente dessa pitiríase! Graças a Deus!

Gente, por favor, só não vamos confundir as coisas, tá bom?! Eu decidi tentar esse negócio do vinagre de maçã por se tratar de uma coisa natural, pesquisei muito antes de começar a tomar e vi que isso não poderia me trazer nenhum transtorno e o máximo que iria acontecer era não melhorar em nada as minhas manchas. Eu absolutamente não recomendo nenhum tipo de automedicação!! Eu sabia que eu não tinha nenhuma alergia ou contra indicação quanto ao vinagre de maçã, pesquisei muito sobre isso antes de decidir tomar. Cabe a cada um ter cautela quanto à saúde, certo?! Essa foi a minha experiência e não quer dizer que funcionará igualmente para todos! Mas se você não tiver nenhum problema com vinagre ou com maçã, quem sabe valha à pena testar e ver como seu organismo responde. Só indico que verifique antes sua saúde!! Veja seu histórico etc etc! Jamais saia tomando coisas para isso ou aquilo sem uma pesquisa a fundo. Não vamos fazer loucuras, pois ninguém precisa disso, certo?!

Bom, existem muitos outros benefícios que o vinagre de maçã traz à nossa saúde! Vem entender umas informações importantes sobre o vinagre de maçã natural:

Ele é composto apenas de água e maçã. Veja no rótulo os ingredientes, não pode conter nenhum outro ingrediente além desses dois. A fermentação é natural utilizando apenas o açúcar da própria maçã, mas o resultado final é um teor zero de açúcar, porque 100% do açúcar presente na maçã foi consumido pelas bactérias do bem durante a fermentação. Além disso, o teor de acidez deve estar entre 3% e 6%, que é o suficiente para atender às necessidades do organismo e insuficiente para causar algum mal.

Bom, essa então foi/é a minha experiência com vinagre de maçã! Eu não sou médica, não estou indicando tratamento ou remédio a ninguém, apenas compartilhando uma informação que foi útil pra mim. Apesar de não ser da área da saúde, amo pesquisar sobre saúde, alimentação e o funcionamento do corpo humano, que é a máquina mais complexa e inteligente do mundo! 🙂

Até a próxima!

Moqueca Capixaba para aquecer essa sexta!

Essa receitinha peixolina eu aprendi com o meu sogro e além de ser super fácil de fazer, fica muito deliciosa. Combina super com um jantar na praia ou em qualquer outra ocasião. E uma outra coisa legal é que dá para substituir o peixe e utilizar filés de frango no lugar. Já testei e dá MUITO certo!

Uma tentativa meio frustrada foi fazer a moqueca capixaba com merluza. Achei que o gosto do peixe ficou muito forte e não gostei. Então eu recomendo fazer com cação ou caçonete. De todos os testes feitos, esses dois são os que mais arrasam! Além do mais, eles só tem aquele osso central, então não precisa ficar se preocupando com espinhas etc etc.

Bom, então vamos lá!

Ingredientes:

  • Uma bandejinha de filés de cação ou caçonete (em torno de 500g)
  • 3 tomates
  • 1 cebola grande
  • 1/2 limão
  • um punhado de cheiro verde picadinho
  • sal
  • azeite (pode ser banha, que é o que eu costumo usar)

Modo de fazer:

  1. Coloque o peixe num recipiente com água e sal e deixe por 40 minutos descansando.
  2. Enquanto isso corte a cebola em fatias médias (de 0,5 a 1cm) e os tomates também.
  3. Na panela, coloque o azeite (ou banha) e o tempero (pode ser só sal ou aqueles temperinhos prontos), e espalhe um pouco do cheiro verde.
  4. Escorra os peixes da água na salmoura e passe-os no fundo da panela para que peguem o tempero. Retire-os da panela para colocar os outros ingredientes.
  5. Posicione as rodelas de cebola de forma que cubram o fundo todo da panela e por cima da cebola coloque uma camada dos tomates em rodelas.
  6. Espalhe um pouco de cheiro verde por cima dos tomates e posicione os peixes, formando a terceira camada.
  7. Regue com o suco de 1/2 limão e deixe a panela tampada em fogo médio-baixo até o peixe ficar cozidinho (aproximadamente 45 minutos) e a cebola e o tomate ficarem molinhos.
  8. Sirva com um arrozinho branco, salada e bom apetite!

Para fazer com os filés de frango, o procedimento é o mesmo. Só não tem a parte do molho na salmoura.

Espero muito que gostem!

Shitake japinha

20170404_210003

Sabe quando você consegue se aproximar muitooo do sabor de um prato do seu restaurante favorito? Então, é assim que eu estou me sentindo agora 🙂

Meu japonês favorito é um restaurante chamado Fusion que fica em Ubatuba. O shitake deles é o melhor da vida e eu sempre ficava curiosa como era feito, porque em casa eu já tinha feito várias vezes e apesar de ficar bom, nunca ficava como aquele shitake mara do restaurante. Pois esses dias comprei uma bandejinha de shitakes fresquinhos e estava com fé que ia conseguir. Tcharammmm, deu certo!! Nada como um pensamento positivo e uma boa dose de amor!

Tão simples e tão gostoso =D Apenas 4 ingredientes:

  • shitakes frescos
  • shoyu
  • vinho branco
  • manteiga

Basta aquecer a manteiga numa frigideira, uma quantidade generosa. Dourar o shitake cortado em fatias, e acrescentar o vinho branco e o shoyu. Deixar uns 2 minutinhos para apurar. Prontinhooooo! Servir e se deliciar.

Eu fiz meio a olho dessa vez, mas na próxima vou medir e volto aqui para atualizar. Mas ó, não tem segredo, derreter a manteiga e colocar os cogumelos. Se por acaso for pouca manteiga e não envolver todas as fatias, acrescente mais um pouquinho que ela derrete junto e fica tudo bom. Depois coloque um pouquinho de shoyu e um pouquinho de vinho, como se fosse colocar um fio de óleo na panela, faz uma voltinha assim regando por cima. Pronto.

Peguei até hashis para comer 🙂

20170404_205950-01

Espero muito que experimentem, porque essa receitinha será repetida muitas vezes aqui em casa 🙂

Ótimo restinho de semana!