Férias em Santiago

1

O tempo é uma coisa que passa mesmo voando, né?! Isso me assusta um pouco, às vezes, mas vamos lá… Acabou de fazer 1 ano que fomos passear na capital do Chile e com saudades dessas férias vim registrar umas dicas de lá por aqui. Passamos uma semana inteira na capital chilena e foi muito legal!! O Chile nos deixou convidados para as próximas visitas 🙂 Obrigada Chile!

Fomos no mês de Março/15 e estava um super (super!) calor. Eu achei que até ia ver uma nevinha no passeio das montanhas, porque até então não conhecia a neve! Mas não tinha nadinha de neve nos picos dos Andes e acabamos inclusive abolindo o passeio nas montanhas por isso. Fica para uma próxima visita!

O clima na época que fomos estava bem quente e beeem seco. Eu nunca tinha visto minha pele tão seca! Era essencial ter um creme hidratante para o corpo, uma manteiga de cacau para os lábios e uma garrafinha de água sempre à mão. E ainda assim nossa boca chegou a rachar de tão seco que era o clima. Mas tranquilo, faz parte da aventura 🙂

O transporte público é muito, muito bom! Dizem que os táxis são baratos, mas o transporte público é ainda mais barato e funciona super bem. Metrô e ônibus foram as nossas opções do primeiro ao último dia. Alugamos carro apenas para fazer o passeio de Cajón del Maipo, que falei aqui outro dia.

Para ir do aeroporto até o hotel tem os ônibus “Centropuerto” e o “Tur Bus” que fazem o trajeto saindo do aeroporto e parando em vários pontos da cidade. Fica fácil, porque você pode pegar um metrô de algum dos pontos que ele para e chegar até o seu destino final. Isso vale para o retorno para o aero também. É bem prático. Esses ônibus aceitam o pagamento apenas em dinheiro, em pesos chilenos, então já no aeroporto aproveite para trocar uma graninha se você não tiver nada de pesos no bolso, mas troque um pouquinho só para começar a brincadeira, porque os valores de câmbio no centro são mais amigos.

O metrô você pode comprar os bilhetes a cada viagem, em todas as estações tem a cabine de vender tickets. Já para utilizar ônibus é necessário ter um cartão chamado “Tarjeta BIP“. Os ônibus só tem a maquininha do cartão e não tem cobrador, então sem a Tarjeta Bip não dá para embarcar nos ônibus. Esse cartão serve para o metrô também e custava 1500 pesos (aprox. R$ 8,00 na cotação que pegamos em Março/15).

Nós ficamos hospedados no bairro Bellas Artes e gostamos muito da escolha. Tivemos uma boa primeira impressão e experiência com o AirBnb. Esse não é um post pago para publicidade, mas foi uma coisa boa pra gente e quem sabe pode beneficiar outras pessoas também. A diária lá era mais barata do que qualquer outro hotel da região e a qualidade da acomodação não perdia em nada para um hotel. Pra gente deu tão certo que no Japão ficamos no mesmo esquema de acomodação, mas do Japão falaremos outro dia, tá bom? 🙂 O nosso lar em Santiago ficava exatamente ao lado da estação Bellas Artes e o bairro em si fica numa localização bem central e boa para ficar. Nós chegávamos facilmente a pé em vários pontos turísticos e além disso tínhamos várias opções de restaurantes por perto.

Uma dica importante do metrô que aprendemos já no primeiro dia, ainda com as malas (obrigada moça gentil que cruzou nosso caminho!), é que a “baldeação” que a gente conhece aqui para mudança de linha de metrô lá chama-se “Combinación“. Por mais óbvio que isso possa parecer, com aquele monte de placas que tem nas estações de metrô, malas para carregar e todo aquele embaraço dos primeiros momentos numa terra desconhecida, só pareceu tão óbvio assim depois da explicação da moça. Daí depois foi só alegria e chegávamos de metrô facilmente em todos os lugares. Então fica a dica, quando quiser mudar de linha do metrô, procure placas assim “Combinación Linha X”, escolha o sentido e voilà, chegue ao destino tranquilo e feliz.

De uma semana a 10 dias acho um tempo excelente para um passeio por Santiago e arredores. Dá para encher esse período com passeios e atividades todos os dias e voltar  pra casa cheio de experiências e lembranças boas. Um pouquinho do que fizemos por lá:

=> Troca da Guarda e Casa de La Moneda: fizemos esse passeio gratuito e guiado no mesmo dia da visita à vinícola e valeu muito à pena. Primeiro por conhecer um pouquinho da história do Chile e segundo por ter a oportunidade de estar dentro do palácio do governo do país. Além disso, assistimos a troca da guarda de camarote 🙂 num lugar bem reservadinho, porque como tínhamos reservado o passeio pela Casa de La Moneda no horário logo após a troca da guarda, as pessoas já ficam organizadas num lugarzinho especial. Esse passeio guiado é gratuito e para fazer a reserva é preciso preencher o formulário desse link . Na época a gente teve que enviar e-mail, mas agora modernizaram o processo. Dá pra escolher o grupo do tour em inglês e espanhol. Vale muito à pena, nós gostamos muito!

=> Vinícola Undurraga: a vinícola que escolhemos para conhecer e passear foi essa. Tem várias outras opções nos arredores de Santiago, essa que visitamos não é a maior delas, mas ficamos satisfeitos com a escolha. Nós queríamos uma coisa mais familiar e gostamos bastante dessa. O preço da visita guiada com degustação não muda quase nada de uma vinícola pra outra. Foi um passeio super gostoso, com um guia animado e feliz, e depois uma degustação de vinhos muito boa e farta. Aproveitamos para emendar um piquenique romântico nos campos da vinícola com uma cesta de torradinhas, queijos e vinhos e foi tudo de bom! A vinícola fica meio afastadinha da cidade, mas é possível chegar até lá de ônibus – lembre-se que o passeio na vinícola tem degustação de vinhos e assim, dirigir logo depois não é uma boa ideia. Eu não sei se lá tem a Lei Seca, mas pelo bem e segurança de todos nunca é bom arriscar, né?! Os ônibus saem do Terminal San Borja, que fica ao lado da Estación Central de metrô. Ao sair da estação de metrô, entre no shopping que tem logo à frente e suba na escada rolante no fim do corredor. O terminal fica logo em cima da praça de alimentação do shopping, as pessoas conhecem lá e podem informar, não tem erro. Tem duas plataformas que os ônibus saem e passam em frente a vinícola. O letreiro do ônibus estará escrito “Talagante, El Monte, el Paico, Autopista”. Ao embarcar peça ao motorista que te avise quando estiver próximo à vinícola. Pagamos 1200 pesos (em torno de 7 reais na época) para ir e depois para voltar o mesmo valor.

=> Cerro San Cristóbal: é um passeio imperdível na capital do Chile. É a maior colina de Santiago e você pode subir até o topo de “Funicular” ou de bicicleta ou à pé. O Funicular é uma espécie de  metrô que faz o trajeto de subida e descida do morro, é bem legal, eu nunca tinha visto isso. Nós subimos pelo funicular e descemos à pé 🙂 Não foi preguiça, mas achamos que seria legal pegar o funicular e turistar. Valeu à pena! Lá em cima tem-se uma vista linda da cidade toda e dos Andes ao redor. Tem uma imagem linda de Nossa Senhora Imaculada Conceição, um espaço enorme com bancos e jardim. É muito gostoso ficar passeando por lá. Tem pequenas lanchonetes vendendo salgados, souvenirs e “Mote con Huesillos“, que é uma bebida típica chilena e quase todo mundo lá em cima toma. Parece até um prêmio pra quem chega lá em cima. rsrsrs. Nós experimentamos também e o meu marido adorou. Quis de novo em outros dias da viagem; eu gostei de experimentar, mas pra mim foi suficiente aquele dia no cerro – e foi o melhor também de todos os que ele provou, na opinião dele.

=> Cerro Santa Lucia: é uma outra colina (cerro = colina) muito famosa de Santiago, só que é mais baixa um pouco do que o San Cristóbal. Vale a visita também! Tem um caminho bonito, jardins e flores no trajeto de subida. Quer uma boa dica? Vá primeiro nesse e depois no San Cristóbal, assim você se surpreende mais 😉

=> Mall Sport: é um shopping que tem lojas específicas de esportes. Tem roupas e itens para tudo quanto é tipo de esporte, até lancha vende nesse lugar. Nós somos muito fãs de esportes e adoramos ir até lá. Compramos algumas coisas e valeu muito à pena. Mas se não tiver a intenção de comprar nada do gênero ou não curtir tanto praticar esportes, acho que não vale tanto a ida, porque o metrô não chega lá, só ônibus. É bem afastado, leva um tempinho para chegar.

=> Parque Metropolitano: aos domingos a cidade organiza passeios por esse parque, ginástica ao ar livre desde zumba até spinning, muuuuuita gente sobe até o pico de bicicleta, correndo, caminhando. É lindo de ver e super animado! Foi coincidência termos ido a esse parque no domingo de manhã e a surpresa foram todos esses eventos ocorrendo por lá. Super animado mesmo! Vale super a visita e prepare-se para andar bastante, porque o parque é enorme!! Fizemos uma MEGA caminhada por ele e arredores e ainda não passeamos por tudo.

=> Costanera Center: é o prédio mais alto da América Latina! Tem um shopping que fica nos 5 primeiros andares do prédio e os outros andares acima são salas comerciais. O shopping é muito bonito e tem uma área de alimentação com muitas opções que dão água na boca! São restaurantes mesmo com ambientes bonitos e comidas gostosas, não é aquela praça de alimentação tradicional de shopping. Vale a visita!

=> Pátio Bellavista: galeria com restaurantes e lojinhas super agradáveis para turistar. Tem comida para tudo quanto é gosto e bolso. Fomos jantar umas 3 vezes lá e cada dia num restaurante diferente. O bairro Lastarria ficava bem próximo à nossa acomodação e a calle Lastarria é ótima para passear e jantar também…

=> Plaza de Armas: é a principal praça da capital do Chile, patrimônio tombado pela UNESCO. Ao redor da praça tem prédios históricos como a Catedral Metropolitana de Santiago, que não conseguimos entrar, pois estava em reformas, o prédio dos correios, o Palacio de La Moneda e alguns monumentos representando momentos do Chile.

=> Paseo Ahumada: é o calçadão de Santiago, sabem? No centro da cidade, lojas, muita gente, camelôs, cafés etc etc. Bem, bem lotadão! Mas legal!

=> Rua Paris-Londres: uma rua no estilinho europeu, ajeitadinha. Não gosto de desanimar as pessoas de irem a algum lugar turístico, mas honestamente não achei nada demais nesse lugar. Se estiver por perto, aproveite para dar uma volta. Caso contrário, sendo bem realista acho que não vale um mega deslocamento para ver a ruinha.

=> Restaurante Giratório: nós somos fãs de restaurantes no alto dos prédios e sempre que possível aproveitamos essas oportunidades para uma experiência gastronômica diferente e legal – eu que o diga 🙂 O restaurante é muito bonito e a comida uma delícia. Fomos um dia na hora do almoço. No almoço o preço é mais amigável, no jantar já é mais salgadão. E no Chile achamos o valor da alimentação bem carinho de forma geral.

Troca da Guarda
Troca da Guarda
Mote con huesillos
Mote con huesillos

Relembrar é viver! Acho que viagens são momentos tão intensos, que a gente relaxa e ao mesmo tempo vive tantas coisas diferentes em tão pouco tempo, surpresas, descobertas, aprendizados, experiências… Quanto mais eu viajo, mais amo viajar! Espero que vocês tenham viajado um pouquinho comigo nessas lembranças e quando forem ao Chile, aproveitem bastante!

Ótimo final de semana!! 😀

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s