Dicas para aproveitar ao máximo sua viagem ao Japão!

RainbowBridge

No final do ano passado (2015) meu marido e eu embarcamos numa estonteante viagem de 45 dias pela Ásia e Oceania e hoje compartilho valiosas dicas que aprendemos na prática sobre o Japão!

O primeiro destino da nossa Super Trip (como carinhosamente chamamos essa aventura) foi Tóquio, no Japão. Cidade onde acontecerão os Jogos Olímpicos de 2020!

Foi emocionante estar num lugar que sempre pareceu tão distante e impossível. O Japão é um país encantador, seguro, com um povo civilizado e extremamente educado. O Brasil ainda chega lá!

Pela primeira vez estávamos num país de cultura e idioma tão diferentes do nosso. Você sabe o que é andar pela rua e não entender absolutamente nada do que as pessoas falam? E não entender nada do que está escrito em placas? E se eu disser ainda que lá o inglês não vale quase nada? Pois é, falar português ou inglês lá dá quase na mesma, porque a maioria das pessoas não fala/entende inglês, e nem português.

Mas calma, planejar uma viagem pra lá é completamente viável e possível. No nosso caso, foi tudo planejado por nós, do nosso jeito, com as informações que tínhamos e com a vontade de abraçar uma aventura diferente. Porque amamos viajar assim!

Brasileiros precisam de visto para entrar no Japão e você precisa entrar no país em até 60 dias após a emissão. O passaporte com o visto fica pronto em 1 semana após a entrega dos documentos, é bem rápido. Prepare os documentos com antecedência, mas deixe para levar no consulado quando faltar no máximo 50 dias para a tão esperada data de embarque. Se for aproveitar algum outro país antes de chegar no Japão, verifique direitinho as datas para evitar complicações na entrada.

Como lá no Japão as casas/apartamentos são bem pequenos, eles não costumam ter máquina de lavar roupa em casa e as lavanderias de moedas (coin laundry) são muito comuns, baratas e práticas.

Transporte público é caro, mas funciona muito bem e é prático. Para a nossa sorte e alegria os nomes das estações de metrô estão escritos também nas letras que estamos acostumados, do nosso alfabeto. Facilita bastante. Atenção nas cores das linhas e chegue feliz ao seu destino.

Sabe aquele papo de que os japoneses esperam o metrô em fila? É verdade! Aguarde educadamente a sua vez. Faixa de pedestres com muito movimento são atravessadas quase que em fila também, sem tumulto, pressa ou correria.

Eles tentam falar japonês com você nos estabelecimentos, mesmo após a sua cara de “ué”, mesmo após aquele sorriso simpático querendo dizer “amigo, obrigada pela sua simpatia, mas não estou entendendo um A”, mesmo sendo visivelmente uma pessoa ocidental. Seja gentil, sorria e agradeça. Em todas as oportunidades eles fazem o máximo para nos ajudar.

Fale um sonoro e claro “Arigatô Gozaimááássssss” para agradecer. Sim, puxe o “ááásss” na hora de falar, é educado. Eles puxam e eles gostam que a gente puxe também. Lembre-se de abaixar para agradecer enquanto fala, abaixe da mesma forma que fazem os atores de teatro no agradecimento final da apresentação.

Eles pegam e entregam as coisas com as duas mãos, seja um produto que você compra, o dinheiro, o troco, o ticket, tudo. É atencioso e educado. Gostei disso! Faça também, não custa nada e é uma bela atitude.

Já ouviu aquela frase “uma imagem vale mais que mil palavras”? Então, use e abuse disso durante sua estadia por lá. Baixe no seu celular fotos de ícones que façam as pessoas de lá entenderem o que você quer ou para onde quer ir. Por mais que a gente se organize nos roteiros, tenha GPS no celular e tudo mais, a gente sempre precisa de uma informação aqui e acolá. Mímicas são inevitáveis, não dá pra prever tudo. Mas as imagens facilitam demais a vida. A nossa, como turistas, e a deles, como informantes.

Os restaurantes normalmente tem os pratos montados “de mentirinha” na entrada. São reproduzidos em plástico e assim dá para ter uma boa ideia do que será servido. Deu para acertar todas as vezes, arriscar alguma coisa diferente e experimentar novos sabores. Sem mistérios.

Em todos os restaurantes eles servem chá à vontade, gratuitamente. Faz parte do ritual. Sentou na mesa, o garçom traz o chá antes do cardápio e depois uma garrafa térmica ou na mesa já tem uma torneirinha de água quente e os ingredientes dos chás deles. É interessante. Aprendemos a gostar e muitas vezes nossas bebidas para acompanhar as refeições foram apenas os chás.

Os hashis (palitinhos que servem como talheres para os orientais) não devem nunca ser apoiados nos alimentos ou nas tigelas na vertical, como se fosse um canudo num copo. É uma tremenda falta de respeito. Atenção para não fazer feio. Se precisar de talheres, peça ao garçom, os restaurantes normalmente tem alguns conjuntos. Mas tente aproveitar tudo da cultura, inclusive os hashis, que fazem a gente comer um pouco mais devagar e saborear melhor o alimento.

Ao entrar numa casa, os sapatos ficam na entrada. Ficamos num apartamento alugado e lugar de sapato é próximo à porta de entrada. Não precisa ninguém avisar, é assim que funciona. Dali pra frente calce os chinelos de vovó ou ande descalso. A casa fica limpinha por muito mais tempo, mas além disso, o gesto significa respeito e humildade para adentrar o lugar.

De forma geral os ambientes são bem tranquilos, sem estardalhaços, bagunça ou gritaria. Tudo é bem manso e calmo, eles são muito civilizados. Aproveite muito e inspire-se na cultura japonesa. Nunca perdemos nada em aprender coisas boas.

Voltamos com a bagagem cheia de inspirações e ansiosos para uma próxima visita na famosa Terra do Sol Nascente!

MtFuji

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s